Info+News+Tech

Previdência privada vale a pena?

Muito se fala em planos de previdência privada. Geralmente, são propagandas ilustradas por casais idosos ou jovens executivos que demonstram tranqüilidade e satisfação ao optarem por este tipo de investimento. Mas será mesmo que vale a pena? Segundo o contador Diego Valgas, “a cada dia mais pessoas estão preocupadas com o futuro e muitos pensam se ainda é vantajoso aposentar somente com a contribuição do INSS.  Com as regras da aposentadoria cada vez mais rígidas e com o grande impacto do fator previdenciário, muitos jovens estão planejando o futuro investindo em previdência privada.” Com base nisso, o Portal CEVIU preparou um guia para que você não tenha mais dúvidas sobre previdência privada.

A diferença entre a previdência privada e o INSS.

Previdência privada é uma forma de aplicar dinheiro com retorno a longo prazo. Você paga um valor mensal e retira esse dinheiro aplicado após um prazo que varia de acordo com o plano que aderiu. Este valor pode ser retirado de uma vez ou então mensalmente, como uma aposentadoria comum. A previdência privada permite que você possa ter uma renda mensal maior do que o governo pagaria se você contasse apenas com o dinheiro do INSS. Se você se aposenta através da previdência do governo, você terá direito a uma renda máxima de aproximadamente R$3 mil. Isto acontece porque durante a vida o governo só permite que você pague um valor máximo para o INSS, ao contrário do sistema privado. No Brasil, a pessoa economicamente ativa paga o INSS para “bancar” os aposentados e o mesmo acontecerá no futuro quando esta pessoa terá sua aposentadoria bancada por quem trabalha.

Cuidados que devem ser tomados antes de optar pela previdência privada.

De acordo com o contador Diego, alguns aspectos devem ser observados por quem deseja investir em um plano de previdência privada: “Quem investe em previdência não pode pensar que está fazendo um investimento de curto prazo, este é um investimento para a aposentadoria, um investimento de longo prazo. Para isto o investidor tem que possuir a cultura de poupar, uma vez que se trata de um compromisso mensal visando uma qualidade de vida futura.” Por maiores que seja os benefícios deste tipo de previdência, além do aumento no orçamento uma vez que você terá mais uma “despesa” mensal, vale ressaltar alguns pontos importantes. A previdência não é uma poupança onde você pode resgatar o dinheiro aplicado quando bem entender, isso varia de acordo com o tipo de plano. Outro fato muito importante relacionado à previdência é o banco escolhido. A opção por um banco privado pode ser atrativa pelas facilidades e rendimento do seu dinheiro, porém, não são raros os casos de instituições financeiras que quebram. Um banco falir com seu dinheiro nele pode ser pior do que você imagina, portanto a opção por um estatal é mais segura, por mais que os rendimentos possam ser menores. Por último, vale lembrar que ao contrário do INSS, uma previdência privada, por exemplo, não cobrirá suas despesas no caso de um acidente que o deixe fora do trabalho por alguns meses. Por conta disso, a melhor opção é aliar previdência privada e pública. Você terá uma aposentadoria mais generosa sem perder os benefícios que o governo te oferece.

Deixe uma resposta

Info.CEVIU