Info+News+Tech

Programadores, desenvolvedores, etc. acabam que muitas vezes também são designers, mesmo sem saber. A grande diferença são os meios diferentes de que eles usam para trabalhar.

Como programador, você sabe que projetar um sistema é pensar e planejar como funcionara e será usado o produto final. Ao se preocupar em criar e fazer um modelo que seja mais fácil de ser usado, você está usando principois de design, e ajudará a entregar um melhor trabalho.

Ao final deste texto, você verá como é fácil aplicar os 10 princípios em qualquer trabalho.

Usando a Heurística

  • Eu O quê?…

Calma, é simples: heurística é a aprendizagem por meio de sua experiência. No design usamos ela para encontrar problemas de usabilidade em uma interface de usuário, para que eles possam ser resolvidos.

Podemos usar a nossa própria experiência para determinar coisas que o nosso usuário gostaria, ou então testar alternativas para descobrir o que ele prefere. Então, vamos lá.

1 – Informe o status do sistema
Já carregou uma imagem em um site ou então instalou um programa? Então, já viu exemplos de sistemas lhe informando sobre o que está acontecendo.

Esse princípio expressa a noção de que um sistema deve sempre mantê-lo informado do que está acontecendo de importante. O exemplo acima apenas lhe diz qual é o status do upload. Ver seu progresso deixa o usuário mais confortável.

2- Use termos “comuns” aos usuários
Ao escrever a documentação, manual ou mesmo o nome de um botão, tente sempre usar termos familiares ou simples. Entenda quem é o foco do projeto e tente usar as palavras, frases e conceitos familiares a ele.

Qual das frases faz mais sentido para a maioria dos usuários?

  • Arrancar ecrã primário
  • Abrir painel principal

Se você escolheu a segunda opção, parabéns. As palavras da segunda frase são mais comuns em sistemas que já usamos, o que deixa o usuário mais confiante ao escolher.

3- Dê controle ao usuário
Um sistema deve permitir o máximo possível que o usuário tenha liberdade para explorar o seu conteúdo, mas deve permitir que caso ele erre, possa se recuperar de seus erros.

Na imagem abaixo, onde você acha que o usuário deveria clicar para escrever um novo conteúdo?

Acertou quem respondeu:

  • Adicionar novo no menu à esquerda
  • Adicionar novo no botão ao lado do escrito Post
  • +Novo no menu superior

3 opções para a mesma função foi a forma de garantir que o usuário encontre a principal função do sistema do WordPress. Mas caso ele tenha clicado sem querer, não tem problema. Basta voltar ou fechar a janela, sem problemas.

4- Siga sempre o mesmo padrão
Apple e Microsoft, ambos têm opiniões diferentes quanto à ordem dos botões “OK” e “Cancelar”. Qual é a melhor?

Então… bem… acho que… A verdade é que realmente não importa a posição em sí. O que realmente é relevante é mantes os botões sempre nas mesmas posições: os usuários do MacOs estão acostumados à opção mais relevante aparecer em destaque ao final, os usuários do Windows estão acostumados à primeira opção ser a mais relevante. Se desenvolvermos um produto para estes sistemas, respeitando a forma de comunicar imposta por elas, nossos usuários vão se sentir muito mais a vontade para usar o nosso trabalho.

5- Previna erros
Melhor do que descobrir que a injeção que você levou não doeu tanto, seria não haver motivos para tomá-la.

Já é mais que provado que, fazer as coisas levando mais tempo para minimizar as chances de erro, é muito mais barato do que correr atrás para consertá-los depois.

Tínhamos pessoas para encontrar defeitos em nossos produtos. Mudamos todos para descobrir como evitar que nossos produtos tenham defeitos. É surpreendente como é mais rápido quando se trabalha para evitar erros, no lugar de corrigi-los.
Mary Poppendieck

6- Reconhecer ao invés de recordar
É melhor que um usuário reconheça algo, ao invés de ter que se lembrar. É o caso de usar textos intuitivos, no lugar de ícones, cujos significados o usuário terá que recordar.

Mostrar aos usuários o que eles podem reconhecer, melhora a usabilidade e os deixa confortáveis com as opções. Em comparação, obrigar o usuário a recordar os itens a partir do zero, pode deixá-lo estressado e frustrado.

É muito mais simples para o usuário reconhecer que o menu se encontra na opção C, do que nas demais, pois além de estar escrito o que se encontra naquele espaço, ele está caracterizado como algo que ele já entende que é clicável.

Um exemplo contrário é o CLI (Command Line Interface). É um exemplo perfeito de sistema que ignora este princípio inteiramente, ao exigir que os usuários decorem as linhas de código.

7- Flexibilidade e eficiência de uso
Basicamente, é fornecer atalhos para seus usuários para tornar as vidas deles mais simples. Este artigo foi escrito no Linkedin, mas ele mesmo me permite utilizar alguns comandos já conhecidos meus de outras ferramentas para ganhar tempo.

8-Simplifique
Este princípio falaria algo sobre “Estética e design minimalista”, mas está mais para “Entregar mais informação de forma menos confusa”.

Cada informação extra que você fornece ao seu usuário irá competir com outras informações, que podem ser até mais relevantes, dependendo da função que ele deseja executar.

Isso vale para tudo: uma página gigante que está ocupando muita banda; uma API cheia de conteúdo desnecessário ou uma interface com muitas chamadas para ações diferentes.

É o que muitos especialistas chamam de “obter o máximo de saída, com o mínimo de entrada”. Nesta tela de conversa do Telegram, existem mais de 20 ações possíveis.

9- Ajude os usuários a reconhecer e contornar os erros
Caso seja impossível previnir um erro, como no caso de um usuário acessar um link que não exista, você deve criar mensagens de erro que usem uma linguagem simples, indicar com precisão o problema que aconteceu, sugerir uma solução ou ao menos ser útil aos seus usuários.

Uma ideia é usar os 4Hs para criar suas mensagens de erro:

  • Human: a regra número um é ter certeza de que suas mensagens de erro soam como se tivessem sido escritos para os seres humanos.
  • Helpful: sua mensagem de erro é legível… mas é útil?
  • Humorous: uma pitada de humor é muitas vezes uma ótima maneira de aliviar a frustração de um erro.
  • Humble: é melhor assumir que a culpa não seja do usuário. Ser sempre humilde.

10- Ajuda e documentação
Sério mesmo? Dahn….

Pode parecer óbvio para a maioria, mas mesmo assim vale destacar este passo importante que muitas vezes é negligenciado.

O melhor é que o sistema possa ser usado por si só, por ser extremamente intuitivo, mas mesmo assim é importante fornecer ajuda e documentação. Além de agregar um enorme valor ao projeto, você garante que qualquer usuário consiga utiliza-lo.

As informações devem ser fáceis de pesquisar, serem focadas nas tarefas executadas pelos usuário, ter uma lista de medidas concretas a realizar e não ser muito grande.

Contato
Qualquer dúvida ou sugestão, entre em contato comigo direto pelo LinkedIn , que a gente bate um papo ou marca uma cerveja.

Procurando vagas de desginer? Encontre aqui!

Deixe um comentário

Info.CEVIU